Segurança do Corinthians comemora a volta aos estudos por meio do Projeto Esporte com Educação





O Projeto Esporte com Educação, desenvolvido entre a UB - Universidade Brasil e os times parceiros, vem mudando a história de muitas pessoas que sonhavam em estudar, mas não tinham oportunidade. Uma dessas histórias é do Juarez dos Santos, segurança do Corinthians que garantiu sua bolsa de estudo no vestibular do dia 22/7.

Há dois anos, cada gol marcado, vitória, jogo sem sofrer gols e liderança no Brasileirão valem muito mais que três pontos na tabela: com o Projeto Esporte com Educação estas conquistas garantem uma nova carreira e um novo futuro para muitos jovens.

No último sábado, 27 de julho, o site UOL contou a história do Juarez, que revelou ao repórter que após adiar os estudos por muitos anos, agora vai "agarrar a oportunidade com unhas e dentes".

Confira a matéria:


Como segurança do Corinthians conseguiu bolsa universitária com gols do time

Arthur Sandes
Do UOL, em São Paulo
27/07/2019 04h00

A história de Juarez dos Santos nunca mais será a mesma: aos 45 anos, ele está prestes a começar uma faculdade de educação física. Nesta semana o segurança do Corinthians passou em uma prova destinada a funcionários do clube e conseguiu bolsa de 100% em uma universidade que patrocina o uniforme alvinegro - o benefício, aliás, tem tudo a ver com o desempenho do time em campo.

Após tanto adiar os estudos, agora é finalmente a hora de "agarrar a oportunidade com unhas e dentes", segundo ele mesmo conta ao UOL Esporte.

Uma ação entre Corinthians e UB - Universidade Brasil distribui bolsas de 100% a cada gol marcado, vitória, jogo sem sofrer gols e rodadas do Timão na liderança do Brasileirão. As primeiras rodadas já renderam 19 vagas universitárias, uma conquistada por Juarez. Não dá para saber qual gol ou vitória corresponde exatamente à bolsa dele, mas é fato que as conquistas corintianas nos últimos jogos são o que lhe permitem esta oportunidade. Juarez conta que sua história começa de forma semelhante à de tantos outros migrantes do Brasil. Ele nasceu e cresceu em um lugarzinho esquecido pelo mundo, o município de Jussiape, no interior da Bahia, mas logo migrou a São Paulo em busca de oportunidade.

Juarez conta que sua história começa de forma semelhante à de tantos outros migrantes do Brasil. Ele nasceu e cresceu em um lugarzinho esquecido pelo mundo, o município de Jussiape, no interior da Bahia, mas logo migrou a São Paulo em busca de oportunidades melhores. Desembarcou na capital paulista em 1991, aos 17 anos, sem saber quase nada de cidade grande. "Todo o mundo sabe que é difícil. Quando a gente chega de lá, é um pouco assustador porque não temos a visão que eu tenho agora, de fazer um planejamento para estudar", explica.

Em uma cidade nova, Juarez abriu mão dos estudos para trabalhar e conseguir se manter. Constituiu família, virou pai e passou a preparar para a filha Bianca o caminho que ele próprio nunca pôde percorrer. "Eu pulei esta etapa de estudos, porque foi ficando cada vez mais difícil. Hoje percebo que quem vem do Norte e Nordeste precisa quebrar este ciclo vicioso", enxerga. A responsável por dar um passo à frente foi justamente Bianca, que hoje tem sua própria família e cursa administração. "Ela já tem outra visão", aponta Juarez, que também é pai de Pablo, mais novo. Seus passatempos e trabalhos secundários são o kickboxing e o muay thai, artes marciais em que dá aula, mas o que major.

Seus passatempos e trabalhos secundários são o kickboxing e o muay thai, artes marciais em que dá aula, mas o que majoritariamente colocou comida na mesa nestes anos todos foram os trabalhos como segurança. Nas idas e vindas da área, foi convidado a trabalhar em um evento no Parque São Jorge e lá acabou efetivado pelo Corinthians, em outubro de 2018. Seria apenas mais um cargo, mas de repente virou uma ponte para a vida universitária.

 "Fiquei sabendo da possibilidade de bolsa no ano passado, mas naquela época o processo para o primeiro semestre deste ano já tinha encerrado. Eu tinha interesse, então pedi para deixar meu nome na fila caso aparecesse uma oportunidade. Agora apareceu, e eu abracei com unhas e dentes", celebra Juarez, que fez a prova na UB - Universidade Brasil na última terça-feira (23) e soube do resultado no dia seguinte. Ele agora aguarda a data de início das aulas.

 A adaptação à nova etapa requer de Juarez certo malabarismo com horários. Ele trabalha no Parque São Jorge em regime de 12 por 36 horas, com turno das 7h às 19h a cada dois dias. Por isso tem combinado para sair mais cedo para a aula, compensando as horas depois. "Ainda vou conversar lá dentro, mas já estamos no caminho para ajustar", conta ele. Ao menos o trajeto até a faculdade estará facilitado: Juarez mora a 4 quilômetros do campus da UB - Universidade Brasil em Itaquera. "Para mim é muito especial, vai agregar muito", aposta.

Fonte: https://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2019/07/27/seguranca-do-corinthians-ganha-bolsa-universitaria-com-os-gols-do-time.htm
 





Compartilhe
          
Últimas Notícias

Alunos de Medicina da UB realizam curso e recebem certificado internacional
08/11/2023


Veja o resultado final do processo seletivo do curso de Medicina da Universidade Brasil para o 1º semestre de 2024
06/11/2023


Confira o resultado preliminar do processo seletivo do curso de Medicina da Universidade Brasil para o 1º semestre de 2024
01/11/2023


Campus da UB recebe o IV Congresso Médico de Fernandópolis
31/10/2023